Papo Reto: Amizade, Mulher e Riff

E pra você? É importante?



Curtam e compartilhem :D

Como eu inicio (ou tento iniciar) meus textos



 Coragem, um dos primeiros cachorros a se preocupar em como digitar corretamente


E aí pessoal, beleza?
Então, eu tenho um problema sério de começar textos. Seja ele qual for - blogue, trabalhos acadêmicos, memorandos, entre outros. Simplesmente porque, apesar de saber o que quero falar, botar isto em linhas torna-se complicado. Como explicar?

Vamos começar pela forma de escrita. Para escrever em blogue, você geralmente usa uma linguagem informal, claro, dependendo do que se você se propõe a falar e de como o blogue é. Quando se prepara algo mais formal, geralmente trabalhos acadêmicos, ou institucionais (memorandos e ofícios de órgãos, firmas) aí segue-se um padrão típico para redigir.

Até aí já enchi lingüiça demais falando o óbvio (um problema recorrente comigo, e espero que você, leitor, não tenha). Foi meio que proposital mesmo, até porque este é um exemplo claro que queria mostrar. Na verdade queria falar sobre a escolha das palavras e ordenação de frases para então começar a produção de texto. E quando quero começar o assunto, coloco uma pequena introdução, um vício que peguei quando ainda treinava redações para o ENEM, o monstro sagrado da educação brasileira.

Escolher palavras. Bem, o que me vem em mente quase sempre é ligado pela forma de escrita que vou usar. Penso pelo menos uns 5 a 15 minutos para poder então começar a colocar duas, três palavrinhas. Simplesmente para perceber se isto vai chamar a atenção de quem está lendo (até que atualmente nem ligo pra isso, porque, apesar do feedback dos amigos, ninguém aleatoriamente veio comentar sobre). Após muito pensar depois das palavras, começam então surgir as frases completas.

Depois de feitas as frases, paro e releio tudo que escrevi até então. Porque faço isso? Bom, primeiro foi uma recomendação de uma grande amiga, professora, que enquanto fui aluno me falava: hoje ninguém lê o que escreve. Todo mundo sai digitando a esmo, sem se importar com nada. A revisão de texto é muito mais importante do que a escrita do mesmo, porque você vai olhar se a frase está coesa, se tem algum erro de gramática, se tem palavra repetida num parágrafo...

Para digitar o parágrafo acima (e todos os outros) reli pelo menos duas vezes à procura de erro. Achou o erro - correge e pronto! 

Percebo que a partir do quarto parágrafo as coisas parecem fluir melhor. Deve ser confiança, ou até empolgação naquilo que estou fazendo. E o processo "escrita - leitura - correção" continua até o fim da produção. E uma leitura final também - agora atentando detalhes mais "estéticos", como o tamanho de parágrafos (manter um mesmo padrão de linha de parágrafos deixa o texto mais "igual" e menos cansativo para o leitor). Findo tudo isso, posto, imprimo, envio. 

E você, mancebo, qual é a forma que você elabora seu texto?

Somos reclamões

Depois de um período, retorno. O Matheus me falou no Facebook, e me animei. Projetos são coisas maravilhosas, e um fôlego novo é sempre bom. Então, estamos de volta, igual bêbado aleijado, mas de volta.

***

OK, deixa de gracinha.
Leu o título, né? Creio que o brasileiro seja um eterno frustrado. Se não é frustrado, é um eterno reclamão, nada tá bom, nada vai melhorar, não existe o positivo. É só ver por aí como ninguém está satisfeito com um exemplo clássico - o tempo. :
 - Quando chove, vem um e fala: "Puta merda, não para de chover, a roupa não seca, dá pregüiça de sair de casa..."
 - Quando faz calor: "Tá quente demais, só vivo suado, enche de mosquito, não dá pra dormir..."
 - Quando faz frio: "Tô congelando, meus dedos estão frios, não dá pra tomar banho direito, sempre tenho gripe..."

É impressionante também que, quando iniciamos uma conversa com um desconhecido, criticar algo é uma praxe. Falar mal do governo (seja ele qual for, municipal, estadual ou federal), procurar um defeito nas ruas, xingar. Creio que até longas amizades tenham surgido por conta desta muleta. Eu também criei essa postagem para falar (ou reclamar, eu sei leitor, você vai me encher o saco nos comentários falando que eu tô reclamando) porque muitas vezes a nossa imprensa faz coisas tão repetitivas e óbvias.

Beleza, carnaval passou. Depois de uma festa durante o dia inteiro, o que sobra é só lixo. Aí, tenho o desprazer de ligar a TV depois de cinco dias, e a matéria de destaque de um telejornal é a sujeira que ficou a capital mineira depois da folia. E aí coloca umas duas pessoas pra falar da situação (coisa do tipo: "é né, falta educação"; "falta consciência"; "meio-ambiente sofre"). Todo o ano é a mesma coisa. E porque fazer TODO o santo ano matéria do tipo? Até porque quem tá em casa vendo TV no carnaval, provavelmente quer que essa época do ano acabe logo.

Aí, matérias como essa alimentam o imaginário público dos transtornos que geram eventos, de políticos sempre são ladrões, etc. Não estou dizendo que o mundo é essa maravilha. Mas o tom é sempre taxativo - problemas e problemas, sem  indicar ao espectador a solução. Basta então reclamar, já que resolver "não adianta". Isto não colabora para fazermos uma sociedade mais prática, e sim mais calcadas no que o nosso parco senso comum julga.

Será que podemos quebrar esse círculo (ou ciclo) vicioso? Bom, podemos praticar o dom da paciência, o dom de não procurar culpado em todo o tipo de problema (outra característica brasileira), enfim, parar pra pensar um pouco mais no que fazer. É "ligar o foda-se" pra algumas coisas, aquelas que não valem a pena perder tempo. Eu tô tentando fazer isso.


Conheça o carro voador do futuro



Uma grande e inovadora iniciativa foi tomada pela gigante Volkswagen, em Pequim , na China, a fim de atender ambições do maior mercado de automóveis do mundo, trouxe um dos primeiros protótipos de carro do futuro.

O nome dado ao carro do futuro é Hover Car , um carro conceito surgiu a partir de mais de 120.000 propostas, que foi adicionado à agenda da gigante alemã para o seu desenvolvimento futuro.

Fibra de carbono que tem a forma de uma esfera achatada nos seus lados, é feita com base que flutua no ar e desliza através de trilhos electromagnéticos. Além disso, o volante se resume a apenas com uma alavanca.

O carro Hover tem um poderoso sistema automatizado para evitar colisões, que avalia constantemente o trânsito de outros veículos e pedestres para ativar os freios de emergência, abrandar e ter manobras evasivas.
Sendo ficção científica ou não, este protótipo foi apresentado no último Salão Automóvel de Pequim e está a emergir como o próximo carro do futuro.



Via: Tuhistory - Tradução livre.

Barack obama anuncia a construção do Homem de Ferro



Alguém no mundo anda sonhando muuuuito alto. Já imaginou o homem de ferro sendo algo real? Não? Barack Obama já! Confira:

Facebook anuncia melhorias no Whatsapp


Recebemos uma sugestão muito interessante de um dos nossos leitores em relação a uma noticia que o Facebook anunciou das novas melhorias do Whats App por causa de sua compra. Realmente, nós usuários ficamos muito chocados e percebemos o quanto é importante repassar esta mensagem. #Euri